Bronzeamento natural e seus riscos

A busca da marquinha de biquíni perfeita foi alvo de empreendimento, um novo mercado está atraindo cada vez mais mulheres para ficar com a pele bronzeada. A prática de por fita que bloqueia o sol e raios ultravioleta já é conhecida à anos entre as famosas, mas foi no final de 2016 que a busca pela pele com o bronze perfeito aumentou.
Mesmo com a crise no Brasil a área da beleza não foi atingida, o ramo de negócio é inovado a cada momento e a demanda das mulheres é alta. Com a grande divulgação do “bronze na laje” para ficar com a marquinha perfeita, vários empresários viu uma oportunidade de aumentar o seu negócio. Hoje uma sessão, que dura aproximadamente duas horas, custa em torno de R$70,00 reais e a manutenção em torno de R$50,00 reais, o que levou algumas pessoas a abrir o negócio dentro de casa com o objetivo de trazer uma renda extra. Com o sucesso do procedimento empresas começaram a vender fitas isolantes no formato do biquíni para quem quiser se bronzear em casa, já que fazendo uma rápida busca na internet é possível encontrar passo a passo para realizar o procedimento em casa. Locais que fazem o processo geralmente funcionam pela manhã entre as 9h e 12h, dizendo ser o horário mais seguro para a cliente por causa da incidência de raios ultravioleta.
O procedimento consiste em utilizar fita isolante ou similar (já que bloqueia o sol e não sai durante a movimentação), bronzeador e aproveitar o sol (com cautela). Dermatologistas alertam para os riscos que podem causar bronzeamentos desse tipo, mesmo o horário da manhã sendo nocivo comparado com o horário da tarde, o sol causa efeito negativo de fotoenvelhecimento além de aumentar os riscos de câncer. O uso do protetor solar não impede essa ação do sol na pele. Houve caso de mulheres sofrerem queimadura com o bronzeado natural, nesses casos queimaduras de segundo grau com aparecimento de bolha aumenta em 50% o risco do aparecimento de melanoma (sendo grave por ter chances altas de se transformar em metástase).
Além de casos de queimaduras, já foi relatado um caso de morte em Brasília no qual uma jovem de 20 anos morreu após três paradas cardíacas, tinha sido diagnosticada de insolação. O tempo de exposição ao sol deve ser determinado de acordo com o tom de pele da cliente, pessoas morenas tem tendência a ser mais resistentes podendo se expor por mais tempo sem prejuízo a pele. O maior perigo é a exposição direta ao sol, por exemplo, uma exposição direta ao sol por três horas confere um risco grande a pessoa, já uma exposição relacionada à prática de algum esporte é considerada melhor.
Esses estabelecimentos estéticos não oferece total segurança, pois não há fiscalização sanitária, sendo assim, não tem controle se o tempo de exposição é seguro e os produtos utilizados são certificados. É preciso analisar os riscos antes de realizar o procedimento e procurar informações sobre o local.